30
Nov 08

92

 

hihi Está quase!! Quase quase  a chegar o dia que vamos contar os nossos pais que vamos casar para o ano hihi. Lá vamos fazer as nossas malas e mjuito mudar. É tao estranho dizer lhes. É tao estranho eu pensar que vou casar. Houve alturas que pensei que nunca casaria, que nao era para mim... nao tinha paciencia, nem acreditava nos casamentos, mas o Amor dá nos a volta as crenças. Agora quero muito  muito, porque acredito, porque confio, porque es meu amigo amante e namorado, meu Tudo. Acredito que resulte. Mesmo assim sinto me esquisita por dizer a alguem que vou casar. a palavra em si requer um certo esforço para dizer ... estou feliz e sem jeito para contar hihi. No Natal espalho a noticia, ou melhor digo lhes e eles espalham lol. Ja palneamos mais ou menos tudo. Nao vai haver festaça riga, queremos so a companhia de amigos muito chegados e a familia que temos no coraçao. Vamos começar mesmo do zero, com pouquinhas coisas mas nao faz mal... aos pouco teremos uma cazinha linda. O que quero é mimos á fartura e muita união.

Ai ai o que o Amor nos faz

 

 

publicado por sandra às 13:47 | comentar | ver comentários (17) | favorito

91

 

 

Quanto mais o tempo passa mais acho dificil repôr o que não houve.

Uma amiga ao almoço disse que nao estava a falar com a mãe e que não sentia falta porque nao se sente falta do que munca se teve. Fiquei a pensar no assunto. Eu sinto falta, nao tive a relaçao que gostava com a minha mae e sinto falte de uma relaçao unida com ela apesar de nunca o ter vivido. Talvez seja impossivel alguem compensar o buraco de carencia que faltam de uma mae.

 

 

Ontem o meu pai chateado disse.. ou quase pensou alto... disse que a minha mae so via para um lado, o do meu irmao. Perguntei lhe porque com esperança de descobrr o mistério que muitas vezes me tirou o sono. Nao me soube responder.. é assim e pronto. Nao tenho nada contra o meu irmao, é na boa. Houve alturas que pensava que com o tempo ela repara se no que faz (é demasiado obvia) e que me tivesse algum tipo de estima ou simplesmente disfarça se. Mas nao continua igual. Será que um dia quando lhe der a velhice vai reparar que precisa do mimo e da ajuda da filha... tavez e nessa altura vai achar que eu nao estou presente porque sou insencivel e para ela serei uma desilusao. Sei que isto vai acontecer, nao sei se haverá tempo para grandes alteraçoes.

Nao sei passar á frente como faz a minha colega... gostava de o fazer. Gostava de nao sentir falta, de por vezes nao ter que me lembrar desta falha.

 

 

 

publicado por sandra às 13:25 | comentar | favorito
30
Nov 08

90

 

 

publicado por sandra às 11:59 | comentar | favorito
tags: