91

 

 

Quanto mais o tempo passa mais acho dificil repôr o que não houve.

Uma amiga ao almoço disse que nao estava a falar com a mãe e que não sentia falta porque nao se sente falta do que munca se teve. Fiquei a pensar no assunto. Eu sinto falta, nao tive a relaçao que gostava com a minha mae e sinto falte de uma relaçao unida com ela apesar de nunca o ter vivido. Talvez seja impossivel alguem compensar o buraco de carencia que faltam de uma mae.

 

 

Ontem o meu pai chateado disse.. ou quase pensou alto... disse que a minha mae so via para um lado, o do meu irmao. Perguntei lhe porque com esperança de descobrr o mistério que muitas vezes me tirou o sono. Nao me soube responder.. é assim e pronto. Nao tenho nada contra o meu irmao, é na boa. Houve alturas que pensava que com o tempo ela repara se no que faz (é demasiado obvia) e que me tivesse algum tipo de estima ou simplesmente disfarça se. Mas nao continua igual. Será que um dia quando lhe der a velhice vai reparar que precisa do mimo e da ajuda da filha... tavez e nessa altura vai achar que eu nao estou presente porque sou insencivel e para ela serei uma desilusao. Sei que isto vai acontecer, nao sei se haverá tempo para grandes alteraçoes.

Nao sei passar á frente como faz a minha colega... gostava de o fazer. Gostava de nao sentir falta, de por vezes nao ter que me lembrar desta falha.

 

 

 

publicado por sandra às 13:25 | favorito